Jornalismo local e analítico

Opinião
| 10 jun de 2019

Minha revolta: a brincadeira com a saúde pública em Guarapuava

Inauguração do Centro de Especialidades, em 9 de dezembro de 2018 (Foto: Rogério Machado / ASECS)

O Centro de Especialidades, erguido entre a Receita Estadual e o Sindicato Rural, é um prédio vistoso que custou R$ 13 milhões, incluindo a aquisição de equipamentos. Dia 9 de dezembro de 2018 ele foi pomposamente inaugurado pela ex-governadora Cida, claro, com a presença de todos os pendurados na política de Guarapuava – todos queriam um pouco dos louros pela obra, como sempre fazem. Cortaram a fita simbólica de inauguração, junto com a Cida e seu marido, Ricardo Barros, o prefeito, Silvestri Filho, a deputada, Silvestri Mãe e outras figuras tarimbadas do tradicional fisiologismo político local.

Seis meses após a inauguração o espaço continua fechado, inoperante. A situação revela algumas tristes evidências. Primeiro, a irresponsabilidade do desperdício de dinheiro público, já que gastaram 13 milhões de reais para deixar o Centro fechado. Segundo, os gestores públicos envolvidos brincam com o agravamento da situação da saúde na nossa região, cada dia pior. Transformaram uma das maiores necessidades da população, a saúde, em dependência política para garantir votos. Terceiro, não há como negar o desdém da turma Richa/Cida/Ratinho/Silvestri para com as obrigações de seus mandatos. O que estão fazendo para resolver a situação? Nada!

Quando é pra se gabar por obras públicas (algo que acho ridículo ao extremo), todos estão presentes, mas quando é para resolver o problema, somem.

O Centro, que beneficiaria cerca de 450 mil habitantes dos 20 municípios que integram a 5ª Regional de Saúde, está fechado porque o Governo do Estado do Paraná roeu a corda e, com a chegada de Ratinho Jr, se nega a pagar R$ 750 mil por mês que ajudariam no custeio. Os 20 municípios integrantes do Consórcio Intergestores de Saúde da 5ª Região de Saúde, que arcariam com a outra metade do custo, não tem condições de pagar sozinhos a conta.

Resultado? Um elefante branco de 13 milhões e mais de 450 mil habitantes feitos de bobo.

Agora diga-me, se não vieram os 750 mil reais necessários para o funcionamento do Centro de Especialidade, virão os quase 10 milhões mensais necessários para tocar o Hospital Regional?  Na Audiência Pública sobre a Saúde, realizada no dia 31 de maio, já se falou em suspensão das obras do Hospital e a única voz do alto clero a cobrar uma solução foi a do Presidente da Câmara – reclamação abafada pelo Secretario da Saúde que, sem qualquer constrangimento, disse “eu não prometi nada”.

Dentro de todo esse cenário alarmante, me pergunto, onde estão os nossos deputados locais? Silvestri Mãe, Mattos Leão e Estacho? Onde estão os 20 prefeitos do Consórcio Intergestores? Afinal, onde está o nosso prefeito, Silvestri Filho?

Apáticos e certamente inutilizados pelos favores políticos que devem ao governador, Ratinho Jr, nossos representantes nada fazem, não reclamam, não exigem, não cumprem com sua função mais básica: cuidar dos interesses do povo.

“Somos esmagados por impostos.”

“Somos governados por políticos ultrapassados e incompetentes.” (João Amoêdo)

João Nieckars

Sobre o Autor

João Nieckars

Advogado, economista e professor de direito empresarial