Jornalismo local e analítico

Opinião
| 7 dez de 2018

“Mantenham-se famintos, mantenham-se tolos”

Imagem: Divulgação Sebrae

Com os seguidos anos de recessão, a economia brasileira não vem favorecendo os recém-formados. Muitos acadêmicos dedicam quatro, cinco ou até seis anos de suas vidas para obter o tão sonhado diploma. Porém a perspectiva para eles não é boa, o desemprego entre brasileiros de 18 a 24 anos foi de quase 29% no primeiro trimestre, acima da média geral, de 13,7%.

Partindo desse cenário, muitos jovens sonham com seu próprio negócio. Subiu de 50% para 57% a participação de pessoas entre 18 e 34 anos que têm negócios em fase inicial. Esses dados evidenciam duas grandes verdades. A primeira é que os jovens estão cada vez mais corajosos, rompendo com barreiras fixadas por uma sociedade onde se preza o emprego “estável”, muitos se lançam em busca de voos mais altos e promissores. A segunda é a irrefutável desatualização de nossas universidades. Grande parte dos universitários sai de seus cursos com boa formação técnica, contudo, sem saber o que fazer com ela. Encontram uma grande parede chamada desemprego e ficam atônitos e sem saber o que fazer com sua formação.

Em Guarapuava temos excelentes facilitadores dos jovens empreendedores. O SEBRAE promove e auxilia em vários eventos na área, temos as universidades UTFPR e Unicentro, provendo a iniciativa através de Hotel Tecnológico e incubadoras. Aliado a isso temos o espírito vencedor que é nato de todo guarapuavano, uma receita que trará sucesso em breve.

Segundo o dicionário empreendedorismo é: disposição ou capacidade de idealizar, coordenar e realizar projetos, serviços e negócios. De certa forma todos somos empreendedores quando coordenamos nossas ações, quando idealizamos objetivos, porém a vida nos molda para seguirmos a linha: escola—faculdade—emprego—aposentadoria –morte. Podemos ser mais do que isso, podemos nos realizar, basta apenas uma dose de coragem.

Como disse Steve Jobs em um famoso discurso em Stanford: “Stay hungry, stay foolish”, traduzindo ao pé da letra, quer dizer: “Mantenham-se famintos, mantenham-se tolos”.

 

 

Gilmar Lejambre Junior

Sobre o Autor

Gilmar Lejambre Junior

Estudante de Engenharia Mecânica UTFPR (Guarapuava)