Jornalismo local e analítico

Opinião
| 9 maio de 2019

Do quintal para a mesa: aprenda como fazer uma horta orgânica em casa

(Foto: Christyam de Lima/Flickr)

Consumir o próprio alimento orgânico e fresco produzido em casa representa qualidade de vida, pois é prazeroso e satisfatório saber que o que está em seu prato foi cultivado por suas próprias mãos, não é mesmo? Infelizmente, muitas pessoas deixam essa ideia de lado por falta de conhecimento, acreditando que para ter uma horta orgânica elas precisam de muito tempo, espaço e dinheiro. Porem hortas orgânicas podem ser muito mais fáceis de serem feitas e cuidadas ao contrário do que muitas pessoas pensam, não necessitando de grande dedicação no dia-a-dia. A seguir, vou compartilhar dicas importantes de como ter uma horta orgânica em casa.

O primeiro passo é escolher onde a horta ficará, deve ser de fácil acesso, água disponível em quantidade e próxima ao local, deverá receber luz solar sempre que possível, entre 5 á 6 horas por dia, para que as plantas consigam aproveitar melhor a luz solar, é recomendado direcionar os canteiros no sentido Norte – Sul.

O segundo passo é preparar a terra do canteiro, movendo a terra para deixá-la bem aerada. Para que as plantas aproveitem melhor os nutrientes, não ocorra o acumulo de água e falta de oxigênio para as plantas, a terra deve estar  também solta o suficiente para que você  possa adubá-la antes de começar a plantar. É aconselhável adubar nos meses quentes (setembro a março). É possível utilizar diversos adubos orgânicos feitos com o próprio lixo orgânico, como casca de ovos e de frutas, borra de café e humus que são produzidos pelas minhocas (a presença de minhocas na terra indica boa fertilidade do solo).

O terceiro passo é o plantio, é preciso levar em consideração as características de crescimento de cada espécie como o ciclo de vida, época preferencial de plantio, necessidade de água, exigências nutricionais e espaçamento ideal entre plantas, pois  plantas rasteiras precisam ser mais espaçadas em si, plantas muito altas deverão contar com tutoramento (suporte), tubérculos e raízes necessitam de um solo mais profundo. Recomenda-se pesquisar antecipadamente qual o espaçamento e o tamanho das covas requeridos por cada espécie. Há sementes disponíveis no mercado de boa qualidade. Antes de comprar é importante conferir os dados de validade, pureza e porcentagem de germinação.

O quarto passo é regar as plantas. Regue sua horta com bastante água uma ou duas vezes por semana. O horário ideal é antes das 10h e depois das 16h, ou seja, nos horários menos quentes do dia. Procure sempre regar o solo e não as folhas, para não favorecer o aparecimento de doenças e a queima das folhas.

O quinto e último passo é a colheita, busque sempre colher nas horas menos quentes do dia, para que a planta perca menos água, o ideal é antes do sol forte, para folhas, e no final da tarde para raízes.

Dicas de plantio para os próximos meses:

Maio – semear nos canteiros rabanete, cenoura, almeirão, nabo, beterraba, rúcula, salsa, chicória, salsão, espinafre, couve-flor, brócolis, e repolho de inverno. Semear em sementeira alface.

Junho – Plantio direto no canteiro de almeirão, cenoura, nabo, beterraba, rúcula, alho. Na sementeira chicória, agrião, couve-flor, brócolis e repolho de inverno.

Julho – Semear nos canteiros almeirão, rúcula, alho. Na sementeira semeia-se alface, rabanete, chicória, beterraba

Ernani Garcia Neto

Sobre o Autor

Ernani Garcia Neto

Engenheiro Agrônomo, Mestrando em Produção Vegetal (UNICENTRO)