Jornalismo local e analítico

editoriais
7 mar de 2019

[Crônica Geral] Feliz ano novo!

Depois que passar o Carnaval eu resolvo. Certamente você já ouviu, ou até mesmo pronunciou esta famosa frase. É evidente que grande parte dos brasileiros desaceleram a rotina no final e no início de cada ano. Esse período é sinônimo de festas para alguns e de descanso para outros. Isso acontece por uma diversidade de fatores, tais como férias escolares (e universitárias), férias coletivas no mercado de trabalho, feriados, comemorações, temporada no litoral, entre tantos outros privilégios que a época oferece. Além do mais, esperar pelo Carnaval já está enraizado em nosso povo, seja com o objetivo de repousar ou de cair na folia.

A festa que, geralmente, ocorre em fevereiro, este ano foi em março. Claramente não são todos que levam à risca a cultura de executar planos somente após o Carnaval, existem os que utilizam essa fase para por em prática um determinado planejamento. Ao final deste mês será possível realizar a simples contabilidade de que já se foram 25% de 2019. Partindo dessa perspectiva, vamos a reflexão, o que você já fez de diferente? Caso você não tenha feito nenhuma diferença que planejava, calma, não precisa entrar em pânico, afinal ainda restou 75% do tempo.

Gostando ou não, o Carnaval no país tupiniquim faz com que a própria economia funcione de forma diferente, nem os bancos abrem em seus horários convencionais. Os estudantes programam os semestres levando em conta os dias de folga, as instituições de ensino superior, habitualmente, organizam as atividades principais para depois das festividades. Outro exemplo é o setor público em geral, que também só trabalha depois da celebração. Faz parte do Brasil estratégico, assim como a maioria das escolhas determinadas pela esfera pública.

Os empresários obcecados em planilhas são obrigados a conviver com esse comportamento e tentam convencer os opostos de que não é bom parar, que é preciso trabalhar enquanto os outros dormem. No entanto, a maioria prefere adiar essa preocupação e foca em colocar o bloco na rua ou apenas relaxar e depois pensar em todas essas complexidades do dia-a-dia. Temos a impressão de que o país “fecha” no final do ano e “abre” após o Carnaval, mas na verdade são as tomadas de decisões é que param. Se te perguntarem por que o Brasil só começa depois do Carnaval, responda: por que não? O ano só começa depois do Carnaval! Então, Feliz Ano novo!