Jornalismo local e analítico

Notícias
Direitos | 8 mar de 2019 | por: Alexandre Pessoa

Campanha da Fraternidade 2019 é lançada com foco em políticas públicas

CF apresenta o tema “Fraternidade e Políticas públicas” e o lema “Serás libertado pelo direito e pela Justiça”

No dia 6 deste mês, em todo o Brasil, teve início a Campanha da Fraternidade 2019, com o tema “Fraternidade e Políticas Públicas” e com o lema “Serás libertado pelo direito e pela Justiça”. A intenção da CF é provocar uma reflexão sobre como são fomentadas e aplicadas as políticas públicas no Brasil. O início da Campanha destaca o início da Quaresma, período de 40 dias entre o Carnaval e a Páscoa, em que cristãos esperam pela Páscoa de Cristo. O tempo é marcado pela realização de penitências, reflexões e orações.

Coordenada pela CNBB (Confederação Nacional de Bispos do Brasil), a comissão nacional da CF preparou o texto-base que chama a atenção para o fato de que falar sobre “Políticas Públicas” não é falar de “política” ou de “eleições”, mas significa se referir a um conjunto de ações a serem implementadas pelos gestores públicos.

“Apesar de a CF ser uma iniciativa da Igreja católica, os temas sempre são ecumênicos e buscam envolver a sociedade de uma maneira geral. A Campanha deste ano é importante para dar segmento ao tema de 2018, que tratou sobre a violência. O propósito é buscar, por meio da palavra de Deus, encantar o povo a se interessar e entender políticas públicas”, afirma Rozalino Ramos, membro da Equipe de Ação Evangelizadora da Diocese de Guarapuava.

“A campanha é estruturada de forma que deve provocar uma reflexão sobre políticas públicas a luz da palavra de Deus, para fortalecer a cidadania, o bem comum e os sinais de fraternidade entre as pessoas. Esse objetivo geral, que consta no texto-base, quer nos dizer que não existe fé separada da vida, quanto mais nos aproximamos da palavra de Deus, mas somos desafiados a agir no mundo de hoje. Precisamos nos envolver cada vez mais nesse processo para contribuir com o desenvolvimento de uma sociedade mais justa e igualitária”, explica Tales Faleiros Lemos, também membro da Ação Evangelizadora em Guarapuava.

A preparação do texto-base da Campanha teve a participação e colaboração de pesquisadores e especialistas de diferentes áreas, assim como a consulta a entidades sociais e lideranças de movimentos. O método principal consiste na iniciativa de ver, julgar e agir e, a partir disso, colocar em prática as principais propostas e ações.

“O delineamento da CF busca superar as dificuldades sociais e existenciais, estão sendo elencados uma série de pontos sempre partindo da palavra de Deus para estimular a participação na sociedade e conhecer mais afundo alguns valores importantes. Se o cidadão não sabe quais são seus direitos, ele fica inviável de participar de decisões consideráveis que regem sua vida”, comenta Tales.

Políticas Públicas

Em um país onde as ações do poder público são centralizadas, pouco transparentes e muitas vezes interpretadas como paliativas, é fundamental que se compreenda a formulação das políticas públicas, para entender como é o planejamento no setor público brasileiro. As políticas públicas afetam a todos os cidadãos, de todas as escolaridades, independente de sexo, raça, nível social, ou religião.

“Há décadas os temas da CF são inteligentes, a CNBB sabe compreender a necessidade de discutir algumas questões que passaram a ser esquecidas pelas pessoas, como é o caso de políticas públicas. A Campanha propõe que religiosos e sociedade em geral reflitam, em que medida, situações relevantes estão deixando de ser prioridade”, reitera Claudio Cesar Andrade, membro Equipe de Ação Evangelizadora da Diocese de Guarapuava.

Andrade chama atenção para temática que envolve o lema da Campanha deste ano (“serás libertado pelo direito e pela Justiça”). “Eu particularmente estou desacreditado do direito e da justiça, por vários exemplos Brasil a fora. Mas se aceitarmos isso como um veredito, significa abandonar os princípios cristãos, já que uma das maiores virtudes cristãs é ter esperança. No entanto, não é fácil ter esperança nos dias de hoje, em um momento de ceticismo, mentiras, excesso de fake news, por isso é possível observar a importância da escolha do tema”, analisa.

“A temática expõe a preocupação com políticas públicas, que não correspondem apenas a determinado governo em um período específico. Políticas públicas devem ser asseguradas, o atual momento, por exemplo, é de debate na reforma da previdência, também em reforma política, essas discussões são muito importantes”, completa Claudio Andrade.

Desafio

Para que a missão alcance seus objetivos maiores, foram produzidos materiais de apoio diferentes do texto-base. Além disso, ações especificas estão propostas para serem desenvolvidas com a comunidade, como é o caso círculos bíblicos, celebrações ecumênicas, vigília eucarística e celebração de misericórdia. Foram preparados conteúdos especialmente para contagiar pessoas distantes da igreja, a CNBB preparou também um material direcionado a juventude.

“É importante frisar que todo o planejamento da CF 2019 foi realizado muito antes da escolha dos atuais governos. Na prática sempre nós apoiamos no texto-base e demais materiais, mas um dos desafios é justamente fazer com que as pessoas depositem credibilidade nesses materiais e acreditem que eles sejam seguros. É importante entender que a CNBB não é um órgão central, ela está disseminada em 18 regionais no Brasil, os materiais são discutidos e elaborados em diversas instâncias. Uma de nossas estratégias é fazer com essas propostas de reflexão cheguem até a comunidade, como é o caso dos jovens”, finaliza Tales Faleiros.



Leia também
22 de março de 2019
22 de março de 2019
22 de março de 2019
22 de março de 2019